terça-feira, 23 de maio de 2017

Dois fugitivos de Pedrinhas morrem em confronto com a polícia

Dois detentos que fugiram após ataque ao prédio da Unidade Prisional de Ressocialização de São Luís 6 (UPSL 6), antigo CDP do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, foram mortos em troca de tiros com a Polícia Civil, nesta terça-feira (23), na Vila Conceição, em São Luís.

Os presos identificados como Valdemir Laurindo Flores e Ronalth Correia Coelho eram assaltantes de banco e faziam parte do grupo que motivou a operação de resgate registrado ao presídio, quando foram usados explosivos para abrir um buraco no muro do CDP.


Operação mobilizou dezenas de policiais na Vila Conceição (Foto: Divulgação/PM)

Eles foram presos na casa de Leonilson dos Santos Nascimento que, segundo a polícia, é líder do tráfico de drogas no bairro da Vila Conceição. Durante a operação comandada pela Superintendência Estadual de Narcóticos (Senarc), dois policiais também foram baleados, mas não correm risco de morte.

Um fuzil e uma pistola que foram usados durante a fuga, no fim de semana, foram apreendidos na casa de Leonilson. A operação contou com dezenas de policiais, viaturas e até o helicóptero do Centro Tático Aéreo (CTA).


Armas usadas no ataque ao Complexo de Pedrinhas (Foto: Divulgação/PM)

Balanço dos foragidos

Em Rosário, a 72 quilômetros da capital maranhense, a Polícia Militar prendeu Paulo de Caldas, natural do Ceará. Ele também estava foragido e é assaltante de banco.

No começo da tarde, outros dois fugitivos voltaram ao sistema prisional: Alisson Pereira Lima, 22 anos, e Kassio Girdeu Carvalho Ribeiro, 33 anos, recapturados em uma área de mangue no Quebra Pote, zona rural de São Luís.

Dos 32 presos que fugiram do Complexo de Pedrinhas, 12 foram recapturados, cinco foram mortos e 15 continuam foragidos.



Fuga de detentos em Pedrinhas ocorreu após explosão do muro da penitenciária (Foto: Élbio Carvalho/TV Mirante)

g1ma

Nenhum comentário:

Postar um comentário